SÃO LUIZ FAZ VALER O FATOR LOCAL, E VENCE MAIS UMA NO CAMPEONATO GAÚCHO

O Rubro venceu o Avenida por 1 a 0, dentro de casa, no Estádio 19 de outubro, e avançou na tabela

 

São Luiz vence o Avenida por 1 a 0 (Foto: Pamela Brilhante / Avenida)

 

O São Luiz voltou a vencer no campeonato. Neste confronto, a equipe de Paulo Henrique Marques foi a campo com Paulo Gianezini, Ricardo Thalheimer, João Marcus, Marcio Goiano, Maicon, Rudiero, Clayton, Mikael, Thiago Alagoano, Tauã (Janderson) e Marcão.

O primeiro tempo começou morno, e aos poucos a equipe da casa foi tomando conta da partida. No entanto, mesmo com o controle do jogo, o São Luiz parava nas bolas aéreas sem rumo, ou nas defesas do goleiro Fabiano, e a melhor chance foi só aos 44 minutos, quando Tiago Alagoano arriscou um chute forte, mas o arqueiro visitante fez uma grande defesa.

Na segunda etapa, apenas o Avenida voltou com modificação, com Marcos Paraná no lugar de Cléverson. Novamente, os donos da casa voltaram dominando a partida, mas sem grandes chances. E foi só aos 12 minutos que tomou um novo rumo, quando Micael cruzou para Marcão, que abriu o placar de cabeça no 19 de Outubro.

Após levar o tento, o Avenida acordou na partida, e passou mais tempo no campo de ataque, mas sem levar grande perigo a meta de Gianezin. Já o São Luiz se acomodou, e sem muitas tentativas por ambas as equipes, o defensor da casa acabou levando cartão amarelo por tentar retardar a partida. E o jogo acabou assim: São Luiz 1, Avenida 0.

Apesar de ser um jogo sem grandes chances, o Rubro dominou a maior parte, e mereceu os três pontos. Todavia, a equipe precisa melhorar na finalização, e principalmente a velocidade do setor ofensivo. Como vimos, nem sempre o gol vai sair na bola aérea. É preciso explorar outras habilidades.

Com a vitória, a equipe Ijuiense sobe na tabela, e já ocupa a 8ª posição. O próximo confronto do Rubro é fora de casa, no sábado (23), quando enfrentará o Juventude no Alfredo Jaconi, às 17 horas, e só retorna a jogar em casa na 10ª rodada do campeonato.

 

Por Melina Bolner.