SAUDADES DA VITÓRIA

 

Ela tem um nome lindo, nome de princesa, de guerreira, de sucesso. Sua presença traz luz para a vida de todo torcedor.

Mas ela estava sumida da vida dos atleticanos. Não aparecia há um tempo. Estava com vergonha, talvez.

Porém, na noite desta quinta-feira de feriado santo (31) ela voltou: o Furacão venceu o Santos por 2 a 0 na Arena da Baixada, com torcida única, e com um público – guerreiro – de pouco mais de 9 mil torcedores.

Confira como foi o reencontro da torcida com essa belezinha chamada VITÓRIA!

COMO FOI O JOGO

O Atlético começou a partida com o mesmo time que empatou com o Paraná Clube na Vila Capanema na rodada passada, e já no início do primeiro tempo se impôs com trocas de passes rápidos e curtos, trabalhando a triangulação.

A defesa do Santos estava aberta, facilitando a chegada do time rubro-negro em várias oportunidades. A defesa do Furacão, por outro lado estava bem ligada: Thiago Heleno centralizado, Zé Ivaldo pela esquerda e Wanderson na direita fecharam a meta atleticana e não deram chance para Gabigol.

Ainda assim, a primeira chance efetiva de gol foi dos visitantes aos 10 minutos de jogo. Numa bola aérea lançada de escanteio David Braz subiu mais alto e cabeceou para fora, com a bola passando muito perto do gol.

O primeiro gol veio aos 17 minutos da cabeça do General Thiago Heleno, após cobrança de escanteio de Carleto, que não deu chance para a zaga do Santos e subiu sozinho para marcar. 1 a 0 na Arena da Baixada.

Foto: Site Oficial

 

Aos 26 minutos Pablo arriscou de fora da área, para defesa de Vanderlei, e aos 31, foi a vez de Carleto em cobrança de falta mandar a bola para a meta do Peixe, que parou no peito do goleiro santista.

No finalzinho do primeiro tempo Guilherme lançou uma bola da esquerda na entrada da área para Nikão, que pegou de primeira, num belo chute, mas que parou na trave. Um pecado.

Na segunda etapa, o time rubro-negro já começou pressionando com nova bola de Thiago Heleno de cabeça, que acabou indo para fora.

Aos 8 minutos, Thiago Carleto cobrou falta direto para o gol e no rebote do goleiro Vanderlei, Guilherme apareceu sozinho e mandou a bola para o fundo das redes: 2 a 0 para o Furacão.

O Santos teve duas boas chegadas com Gabigol, a primeira mandando para fora e a segunda marcando o gol, que foi anulado na sequência, já que o atacante estava em posição irregular.

Na sequência, aos 25 minutos, mais duas bolas perigosas do Furacão: uma de Pablo e outra de Carleto, mas as bolas apenas passaram perto.

Aos 35 minutos, Vanderlei fez três defesas seguidas, impedindo o terceiro gol do Atlético. A primeira defesa foi de um chute forte de Carleto. No rebote, Nikão chutou e o goleiro defendeu novamente. Em novo rebote, foi a vez de Lucho, mas a bola parou novamente no goleiro.

Mas o jogo acabou com a vitória do Furacão por 2 a 0 e o mais importante: o time rubro-negro deixou a zona de rebaixamento e alcançou a 13ª posição.

Thiago Carleto participou efetivamente dos dois gols da partida. Em coletiva pós jogo o lateral afirmou: “A cada dia que passa eu trabalho mais. Acabam os treinamentos e eu fico treinando, combinando jogadas com os companheiros”.

Foto: Site Oficial

 

Os cartões amarelos saíram para Pablo do Atlético e para Bruno Henrique do Santos.

DE VOLTA PRA CASA

Marcelo Cirino está de volta ao Furacão e a partir de segunda-feira (04) já irá treinar no CT do CAJU. O atacante estava emprestado ao Al Nasr nos Emirados Árabes e marcou 14 gols em 26 partidas (Fonte: GloboEsporte.com).

Foto: GloboEsporte.com

Fernando Diniz se mostrou feliz com a possibilidade de contar com o jogador: "um jogador que gosto muito, acompanho há um tempo e é um privilégio contar com ele a partir de segunda-feira, embora acho que ele só possa jogar depois da janela, depois da Copa", afirmou em entrevista coletiva.

Por Daiane da Luz