Se não é sofrido, não é Caxias

 

 

Gol espírita, pênalti perdido e bola na trave deram uma pitada de emoção à classificação grená

 

 

Oito graus, garoa fina e muita cerração. O clima já avisava que era dia de jogo do Caxias. O apito deu início à partida mesmo com a neblina que pairava sobre a serra gaúcha. Estava difícil de ver um palmo à frente dos olhos, quem dirá enxergar por onde andava a bendita bola. Creio que Gledson também tenha passado por isso ao levar um gol logo no início de jogo. Bastaram quatro minutos para que eu visse apenas um amontoado de uniforme branco comemorando um gol para os visitantes. O gol foi de longe, deve ter sido bonitaço né? Pena que ninguém viu (rindo de nervoso).

Apesar de sofrer o gol logo cedo, o Caxias não se intimidou e ocupou a área adversária, empilhando algumas oportunidades de empatar. Empate esse que ficou mais perto de acontecer aos 16 minutos, quando Nathan foi derrubado dentro da área e o juizão marcou penalidade. Julinho pegou a bola e chamou para si a responsabilidade. O lateral tirou tanto do goleiro que acabou mandando a bola pra fora. A torcida, que já sabe que nada é fácil pra nós, não desanimou, continuou cantando alto e empurrando o Caxias para o ataque.

Outra chance de empatar veio aos 23 minutos. Após cobrança de escanteio, Nathan cabeceou no canto do goleiro, mas a bendita trave deu o ar de sua graça. Mas era o nosso dia, e um gol aos 37 minutos mudaria toda a nossa situação. Após cobrança de falta, a bola sobrou para Nathan, que cruzou e encontrou Jean na área. O zagueiro antecipou a defesa adversária e desviou no canto do goleiro, que nem viu a cor da bola: Caxias 1 x 1 Uberlândia.

O primeiro tempo se resumiu em diversas chances grenás, um pênalti perdido, uma bola na trave e um gol espírita do Uberlândia, que nada mais fez.

A etapa complementar começou com a mesma intensidade grená. Bastaram 6 minutos para que Jean marcasse o gol da virada. Durante a semana, os mineiros salientaram que a única jogada da equipe grená eram as bolas aéreas. E foi desse jeitinho mesmo, que sofreram o gol da eliminação. Diego Miranda cobrou falta e encontrou Jean que só se deu ao trabalho de cabecear para o fundo das redes: Caxias 2 x 1 Uberlândia.

 

 

Zagueiro Jean marcou os dois gols da vitória grená

Luiz Erbes – Divulgação S.E.R. Caxias

 

 

O time adversário até tentou chegar algumas vezes, chutando de fora da área e mandando a bola pra bem longe. O Caxias ainda teve chance de ampliar com Rafael Gava, que ‘dibrou’ bonito dois marcadores da equipe mineira e finalizou, mas seu chute foi afastado pela zaga.

O grenazão conseguiu administrar o resultado e controlou as tentativas do Uberlândia. Por fim a classificação veio e a festa foi dos donos da casa.

Sobre o jogo: Um ponto interessante é a zaga. Júnior Alves e Jean tem faro de gols. Nossa força em bolas aéreas muito se dá pela presença de área dos dois. Estão deixando a gente sonhar! Outro ponto a salientar é a torcida. Mesmo com as péssimas condições, esteve presente. Não se intimidou ao sofrer o gol e muito menos ao errar o pênalti. A sincronia entre arquibancada, social e cadeiras com certeza foi um estímulo para os atletas, que foram em busca da vitória.

 

 

Luiz Erbes – Divulgação S.E.R. Caxias

 

 

Quanto ao Uberlândia? Passaram a semana inteira provocando. Torcedor indo na página do Facebook do Caxias chamar nossa equipe de ruim. Prometeram colocar três a zero na nossa casa. O técnico usou de mentiras para entoar uma rivalidade que nunca existiu. Durante a semana, falaram que o Caxias já estava considerando o confronto como GANHO, coisa que nunca aconteceu pra esses lados. Segundo o Globo Esporte, o técnico usou dessa situação e coletou alguns prints para motivar seus atletas. Mas parece que não deu muito certo coleguinha. Quem sabe você consegue com outro time ano que vem.

 

 

Agora o Caxias decide o acesso com o Treze da Paraíba. Os confrontos ainda terão as datas definidas pela CBF.

 

 

S.E.R. CAXIAS 2 x 1 UBERLÂNDIA

SÉRIE D – OITAVAS DE FINAL – JOGO DE VOLTA

 

 

AGREGADO: 3 x 2

LOCAL: Estádio Centenário – Caxias do Sul/RS

DATA: Domingo, 25 de junho de 2018.

HORA: 16 horas

 

CAXIAS: Gledson; Cleiton, Júnior Alves, Jean e Julinho; Marabá, Gilson e Diego Miranda (Foguinho); Nathan (Rafael Gava), Wesley e Eder (Caio Cézar). Técnico: Luiz Carlos Winck

 

UBERLÂNDIA: Roni; Cesinha, Alemão, Rogério e Airton; João Paulo (Michel Cury), Emerson (Ewerton Maradona), Jarlan (Tito), Diogo Peixoto e Matheus Pimenta; Tiago Amaral. Técnico: Felipe Surian (fala muito)

 

ARBITRAGEM: Vinícius Furlan, auxiliado por Hemam Yani e Vitor Metestaine.

 

 

Francielle Fabro