Siamo noi!

FOTO: Palmeiras Oficial

Palmeiras encarou o Atlético Paranaense em casa e trouxe de volta para casa mais três pontos na bagagem e a liderança isolada do campeonato.

O Palmeiras começou o jogo sabendo que um empate traria a liderança de volta. O Santos, que venceu o Atlético-MG na tarde de domingo em casa, havia assumido, temporariamente, a liderança do campeonato. Temporariamente, porque o Palmeiras não só levou um ponto, como levou três pontos, ficando afastado da equipe do litoral na ponta da tabela.

O Palmeiras entrou em campo bem modificado, a equipe escalada por Cuca foi: Jailson, Jean, Thiago Martins, Vitor Hugo, Egídio, Thiago Santos, Tchê Tchê, Moisés, Róger Guedes, Dudu e Erik.

Dentre tantos desfalques por suspensão ou lesão, Cuca conseguiu montar um time coeso com um meio campo muito forte, que representou todo o diferencial nesse jogo em Curitiba.

O primeiro tempo demonstrou uma grande superioridade palmeirense. A equipe trabalhou bem a bola, construiu boas jogadas e manteve o controle da partida. A equipe, talvez, tivesse como um único problema a finalização das jogadas. A bola não chegava por baixo e quando chegava a finalização não surtia efeito. A equipe chegou ao gol do atlético muitas vezes, já o rival bem poucas.

Aos 8 minutos do primeiro tempo, Dudu cobrou falta que bateu na barreira do atlético, o camisa 7 reclamou muito em toque de bola dentro da área dos jogadores da barreira, mas o árbitro nada marcou. A superioridade alviverde foi coroada em outra bola parada. Dudu cobrou escanteio aos 44 minutos e Vitor Hugo cabeceou para dentro do gol.

FOTO: Palmeiras Oficial

O segundo tempo iniciou sem alterações da equipe palmeirense, que mais tarde teve todo o ataque modificado. No começo da etapa complementar manteve o mesmo empenho na criação de jogadas e manutenção da vantagem no jogo. Mas o atlético cresceu na partida e começou a levar muito perigo ao gol de Jailson.

O Palmeiras tentou ampliar. Teve grande chance aos 6 minutos em cruzamento feito por Moisés que encontrou Roger Guedes, que se esticou, mas não conseguiu colocar a bola no gol. Depois, aos 22 minutos, Jean recebeu cruzamento de Egídio, mas viu a bola sair a direita do gol do atlético.

O atlético cresceu, o Palmeiras soube administrar o resultado e apresentou um meio campo muito forte na marcação. Moisés, Tchê Tchê e Thiago Santos iam muito bem no auxílio à defesa e evitaram chegadas mais fortes do atlético. Quando o meio campo não conseguia impedir a chegada do rival e zaga tampouco, Jailson estava lá.

https://imguol.com/c/esporte/32/2016/08/07/o-goleiro-jailson-durante-jogo-do-palmeiras-contra-o-vitoria-1470605227652_956x500.jpg

FOTO: Globo Esporte

O goleirão pegou cabeceio de Paulo André aos 19 minutos. Aos 24 defendeu mais uma bola rasteira, também de Paulo André. O atlético pressionou, mas acabou sempre se deparando com os cortes da zaga alviverde ou com Jailson. As traves alviverdes parecem estar novamente em boas mãos!

Fim de mais um tabu!

Palmeiras, para variar um pouco neste campeonato, quebrou mais um tabu. Não vencia o Atlético-PR em Curitiba desde 2008, quando Diego Souza marcou dois gols na vitória de 2 a 1. O Palmeiras está gostando muito de por fins a tabu este ano.

De quebra, a equipe acabou com uma grande sequência de invencibilidade do Atlético em sua casa. A equipe paranaense havia perdido em casa pela última vez, no final do Brasileirão do ano passado.

Abrindo o mar vermelho

Moisés foi um dos destaques do jogo. Ajudou a abrir os caminhos para o ataque Palmeirense no meio campo e da zaga dos jogadores rubronegros.

Mas ele não só abriu caminho no meio do mar de jogadores de vermelho, como também ajudou o atlético a não chegar ao gol palmeirense. O jogador foi essencial na marcação e também no apoio da zaga. Além de ainda criar oportunidade ao ataque, como bola lançada ao Roger Guedes no segundo tempo.

 

Liderança!

A vitória encheu o torcedor Palmeirense de orgulho pela maneira com que a equipe se comportou. Atacou, criou e mesmo quando (muito) pressionada manteve-se firme e não se desesperou. Jogo com cara de equipe que quer ser campeã.

O Palmeiras mais uma vez se mantém líder do Campeonato, como, aliás, tem sido rotina nesse brasileiro. O jogo deu gosto de ver, ainda que com algumas pequenas falhas. A equipe tem tudo para aumentar o rendimento, principalmente, com a futura volta de Gabriel Jesus.

Que a equipe siga assim, porque siamo noi! Avanti!

 

Por Marcela Permuy

Curta Blog Mulheres em Campo