Sport vence e abre importante vantagem contra o Campinense

Todas asuperstições que precisavam ser cumpridas para assistir a um jogo do Leão já estavam feitas, a hora demorou a chegar, mas chegou. E a ansiedade deu lugar a emoção. Essa emoção precisava ser exposta de alguma forma e foi da forma linda possível com a 'avenida rubro-negra'.

Foto: Paulo Paiva 

 

Com sinalizadores, bandeiras e apitos, a recepção pôs a mostra a grandeza da torcida leonina e escancarou o tanto de apoio que o Sport vai receber nesse período de seguidas decisões que vamos enfrentar.  

 

Diante de toda festa, os jogadores entraram no gramado com a missão de dar uma vitória larga para compensar o esforço da torcida e dar mais confiança a equipe que está na busca do tetra campeonato da copa do nordeste. 

 

O jogo marcou a estreia do quarteto ofensivo rubro-negro,  formado por Diego Souza, Reinaldo Lenis, Mark González e Vinícius Araújo. Mas o grupo não estava em um bom dia. O time não produziu e mostrou uma grande dificuldade tática. As dificuldades foram tantas  que o primeiro lance de perigo do Sport foi apenas aos 44 minutos, quando Diego Souza passou a bola para Lenis que recebeu dentro da área e mandou para fora. No intervalo foi ouvido um misto de vaias e aplausos ecoados pela torcida. 

 

Para o segundo tempo, os times voltaram com a mesma formação. O Campinense aos poucos se soltava na partida e tentava aproveitar as falhas do time da casa. Aos 20 minutos o quarteto ofensivo do Sport foi desfeito e Luiz Antônio entrou na vaga de Mark. E o time voltou a atuar com três volantes, esquema mais utilizado por Falcão na temporada. Dois minutos depois, o goleiro Glédson fez grande defesa em um chute de Rithely. Logo em seguida, foi a vez de Vinícius Araújo dar a vaga para Johnathan Goiano, em mais uma tentativa de aumentar a ofensividade do Leão. Aos 27 minutos, Danilo Fernandes impediu o gol dos paraibanos, após grande jogada individual de Pitbull, no meio da exposta defesa rubro-negra.  

 

A essa hora o nervosismo já tinha tomado conta de todos. O técnico Falcão utilizou a última substituição com a saída de Lenis para entrada de Maicon e ouviu gritos de "burro" da arquibancada.  Aos 45 minutos, Glédson espalmou para fora uma bomba de Johnathan Goiano. Aos 50 minutos, a torcida do Campinense já comemorava o empate entoando que "o campeão voltou" quando Maicon fez um cruzamento perfeito e Durval apareceu como centroavante na pequena área mandando de cabeça para o gol e dessa vez o o goleiro adversário não conseguiu evitar 

 

Foto: Sport Club do Recife

 

A Ilha do Retiro explodiu e emoção citada no inicio do texto não pôde mais ser controlada pelos mais de 23 mil torcedores ali presentes. Foi um misto de choro, lágrimas e sorrisos. E o paraibano que saiu do estádio feliz foi o Durval, que marcou seu gol de número 30 pelo time da Ilha. 

 

E haja coração meu amigo, se não for sofrido e na raça não é Sport. 

 

Apesar de reconhecer que o time não esteve bem, Falcão garantiu estar tranquilo quanto ao futuro da equipe. 

 

- Foi um jogo muito difícil. Nós já sabíamos disso. O time do Campinense é bem organizado e dificultou a nossa vida. Foi uma grande vitória. Se tem que escolher um resultado de empate, que seja o 0 a 0, mas eles foram além. Ganharam por 1 a 0. Não tenho preocupação agora além de recuperar os jogadores. 

 

Domingo (17) o Sport vai a Campina Grande em busca da classificação, espera-se um time melhor posicionado e sem dar brechas para o adversário, que vai vir com força total em busca da vitória. 

 

Para o Sport, qualquer empate basta. A essa altura a torcida não faz mais questão de um jogo bonito, só queremos duas coisas: raça e a taça! 

 

A nossa classificação lá vai ser difícil? Vai! Mas Vai ser bem mais difícil pra eles. Então vamos apoiar o leão até o fim.  

 

FICHA DO JOGO 

 

Sport – Danilo Fernandes; Samuel Xavier, Oswaldo Henríquez, Durval, Christianno; Serginho (Maicon da Silva), Rithely, Diego Souza, Reinaldo Lenis, Mark González (Luiz Antônio) e Vinícius Araújo (Johnathan Goiano). Técnico: Paulo Roberto Falcão. 

 

Campinense – Gledson; NegrettiJoéci, Tiago Sala, Danilo; Fernando Pires, Magno, Filipe Ramon (Jussemar), Róger Gaúcho; Raul (Chapinha) e Bruno César (Pitbull). Técnico: Francisco Diá. 

 

Local: Ilha do Retiro. Árbitro: José Ricardo Vasconcelos (AL). Assistentes: Rondinelle Tavares e Pedro Jorge Araújo (ambos de AL). Cartões amarelos: Durval, Rithely (Sport) e Bruno César (Campinense). Gol: Durval aos 49′ do 1ºT.Público: 23.390 torcedores. Renda: 416.850 reais. 

 

Beatriz Cunha