Surpresas acontecem e é isso que a Sérvia quer fazer contra o Brasil

Muita gente se surpreendeu quando a Islândia empatou com a Argentina, ou quando a Rússia começou os dois jogos vencendo bem e o Uruguai apesar das vitórias sofrer para vencer os jogos. E amanhã (27) às 15h, as Águias tentam causar essa mesma surpresa no mundo. A missão é vencer a Seleção com mais títulos em Mundiais: o Brasil. A motivação vai além do sentimento de superação de bater uma das Seleções com a camisa mais pesada do mundo. A Sérvia precisa da vitória se quiser continuar viva na Copa do Mundo.

 

(Foto: Starsportphoto)

 

"Sempre houve surpresas”, disse o técnico, Mladen Krstajic em entrevista coletiva.

O atual líder do Grupo E é o adversário de hoje, com quatro pontos, a mesma do vice-líder, Suíça. Os sérvios estão com um ponto a menos já que só pontuaram na primeira rodada quando venceram a Costa Rica por 1 a 0. Mesmo com as perspectivas de jogar contra um time forte e, dependendo do resultado torcer para a Suíça tropeçar em um time já eliminado e que ainda não fez gol, Krstajic não se desanima e acredita que é possível:

 

"Nós respeitamos o Brasil como uma potência do futebol, mas olhamos para nós mesmos, para mostrar caráter. Nós não podemos esperar para começar. Simplesmente, nós vamos jogar contra um grande Brasil. Não vamos nos render, vamos dar o máximo e vamos ver no final o que vai ser o resultado. Certamente será interessante. Não temos medo”.

 

Mas além da confiança, da disciplina tática há algum outro ingrediente para vencer o Brasil? Talvez sim: uma pitada de sangue nos olhos e concentração por parte dos jogadores. Pelo menos é o que pensa o capitão do time Aleksandar Kolarov que considera o fato de Tite, técnico do Brasil, divulgar com antecedência a formação que entrará em campo nesta quarta-feira, foi uma provocação:

 

“Talvez tenham nos subestimado. Não sei. Não quero pensar nisso agora. Há questões mais importantes e sérias a refletir. Talvez estejam nos provocando não sei. Se disse qual vai ser a seleção, pode ser uma tática dele (Tite). Acho que devem estar prontos”, explicou o lateral.

 

Apesar de ter se ofendido com a divulgação, ele diz que tem coisas mais importantes para pensar. Aliás, a partida vem povoando a sua mente desde a noite após a derrota contra a Suíça:

 

“Francamente e depois do jogo com a Suíça que eu estava fazendo impressões, agora eu creio, estou convencido. Eles não sabem como jogar para empatar. Vamos jogar para deixá-los tentar bater-nos. Vamos tentar. Foi um jogo em que eu estava voltando de morto e ele me ajudou. Se nós entrarmos em uma partida que realmente acredito que vamos ganhar e renascer das cinzas. Vai ser um orgulho. Espero que a gente vença”.

 

Por Camila Leonel