Tem que jogar com a Alma e o Coração!

 

Quem é palmeirense sabe que a veia corneteira sempre fala mais alto. Na verdade, ela grita. Não importa se temos o melhor time, desde a época da Parmalat ou se estamos em uma sequência de vitórias, a desconfiança sempre vai existir e nem é culpa exclusiva do técnico Eduardo Baptista (Eu disse exclusiva, uns 70 % pode colocar na conta dele mesmo) o fato é que futebol é uma caixinha de surpresas mesmo e isso o torcedor Palestrino aprendeu na prática.


(Fonte: reprodução internet)

 

Agora não sei se acontece só comigo, se é culpa do embalo dos dois campeonatos que conquistamos em 2015 e 2016, ou por causa do elenco que temos hoje, vejo essa Copa Libertadores com outros olhos. O Bicampeonato está muito próximo. A expectativa é grande para todos, mas estou otimista, não sei explicar o porquê.

Nossa estreia será nessa quarta (8) no estádio Monumental José Fierro, contra um rival inédito para o Palmeiras o Atlético Tucumán, na Argentina as 21h45min.Mesmo não sendo muito conhecido no Brasil, o nosso primeiro adversário ganhou destaque após um episódio inusitado, vivido antes do jogo com o Nacional-EQU. Após empatar por 2 a 2, em casa, no jogo decisivo o voo para o Equador atrasou, e o time chegou sem uniformes ao estádio. Mas houve liberação para o Tucumán usar as camisetas e shorts da seleção argentina Sub-20, que disputava o Sul-Americano no Equador. E demonstrando muita raça e vontade, o time venceu por 1 a 0. Além disso, eles contam com uma torcida que faz muita pressão e o time tem uma base que joga há muito tempo junto e, portanto, está bem entrosado.

Para o Palmeiras, essa será a 17ª Libertadores, o Verdão foi Campeão em 1999 e finalista em outras três oportunidades. Os vice-campeonatos aconteceram 1961, quando se tornou primeiro brasileiro a alcançar uma decisão de Libertadores, 1968 e 2000.

Do atual elenco, seis jogadores já levantaram a taça da competição, são eles: Edu Dracena (2011, pelo Santos), Arouca (2011, pelo Santos), Alecsandro (2010, pelo Internacional, e 2013, pelo Atlético Mineiro), Willian (2012, pelo Corinthians), Alejandro Guerra (2016, pelo Atlético Nacional) e Miguel Borja (2016, pelo Atlético Nacional).

O elenco desembarcou em San Miguel de Tucumán, na madrugada de segunda-feira. Na tarde de terça, Zé Roberto concedeu uma entrevista coletiva e o elenco ainda fará um último treino fechado para a imprensa, no estádio que ocorrerá a partida.

Confira os 21 relacionados para a partida:

Goleiros: Fernando Prass, Jailson e Vinicius Silvestre
Laterais: Egídio, Jean e Zé Roberto
Zagueiros: Antônio Carlos, Edu Dracena e Vitor Hugo
Meio-campistas: Arouca, Felipe Melo, Guerra, Michel Bastos, Raphael Veiga e Thiago Santos
Atacantes: Alecsandro, Borja, Dudu, Keno, Róger Guedes e Willian.

Para a estreia, o Palmeiras não poderá contar com Tchê Tchê, readquirindo a melhor condição física, Yerri Mina cumprindo suspensão, Thiago Martins e Moisés Lesionados.

“Era a mesma situação de hoje: o Palmeiras tinha estrutura, grupo, elenco. Na época, os valores eram bem menores, mas já é bem nítido que o Palmeiras também está montando um time para ganhar a Libertadores, reforçando a equipe que conquistou o Brasileiro com jogadores que já ganharam a Libertadores e estão acostumados a esses jogos” – Comparou ex-atacante, o Matador Evair, em entrevista ao Globo Esporte em 07/03/2017

 

Palmeiras1999.jpg
(fonte: reprodução internet)

 

Os elencos de 1999 (quando fomos Campeões pela primeira vez) e de hoje, se assemelham pela fase econômica que o clube vive, pelo elenco forte com nomes experientes e por ter conquistado campeonatos diferentes no ano anterior, sabemos que não é só isso que faz um time Campeão, o que mais queremos ver de semelhante a 1999 é a força, a raça e o jogadores que realmente venham com vontade, que honrem a camisa e lutem sem parar!

AVANTI PALESTRA!

Por Mariana Paiva