TEU PRESENTE É UMA LIÇÃO

 

 

Ouvindo o hino do Coringão, enquanto pensava em como deveria falar da última rodada do Brasileirão, eis que a frase “teu presente é uma lição” fica martelando na minha cabeça…

Não é segredo para ninguém que patinamos feio nesta temporada. Fizemos uma baita campanha em 2017, com ressalvas para o segundo turno do Nacional, em que nos sagramos campeões. No embalo, conquistamos o Paulistão esse ano, calando a todos, reinando na casa do rival, que cantava vitória antes da hora! Vivíamos um “baita momento”, estávamos no auge, mas vida de corinthiano fácil nunca existiu, e não seria agora que teríamos tranquilidade.

Nosso pesadelo começou com a polêmica eleição de Andres. O presidente eleito teve de se esconder no banheiro, o que parecia uma premonição das merdas que faria.

Sanches assumiu e logo foi articulando a saída de Carille, treinador que nunca apoiou, afinal em 2016 retirou o ex-auxiliar para indicar Cristovão Borges e depois ainda fomos massacrados com Oswaldo de Oliveira. O time patinou, foi do nada ao nada e ninguém quis assumir o comando, restando o tapa buraco, Fábio Carille. Carille surpreendeu e alçou a 4° Força! Andrés teve de engolir, mas claro, que não deixava de cutucar.

O presidente e suas declarações polêmicas, incomodavam a todos e o elenco passou a desmotivar. Muitos aproveitaram a janela e zarparam fora, inclusive o treinador. Remendados, com Osmar Loss como comandante, naufragamos, mas Andrés quis mostrar que podia fazer ainda pior: trouxe então, Jair Ventura, pseudo treinador que havia deixado o rival da baixada na zona de rebaixamento!

Como esperado Jair repetiu no Corinthians os feitos do Santos! Depois de 11 anos, voltamos a viver o fantasma do rebaixamento, e escapamos da degola com um medíocre empate dentro de casa, diante da fraca Chapecoense. Agora que tá tudo cagado e mal temos atletas para jogar o que Andrés faz? Põe o rabo entre as pernas e vai atrás de Carille e de ex- corinthianos, mas tendo pouco a oferecer.

Digo isso, porque não nos classificamos para a Libertadores e podemos ficar sem a Sul-Americana, o que tornaria difícil a chegada de atletas de ponta.

Para salvar 2018, resta um confronto, o que selaria a saída de Jair com dignidade e nós garantiria na zona de classificação da Sula. O oponente? O Grêmio, sedento pela fase de grupos da Libertadores, dentro de casa, às 17h. Tá fácil né? Calma que tem mais!

Cássio, que com tendinite não treinou, podendo dar lugar a Walter. Fagner também é dúvida, o que obrigaria Léo Santos, a atuar improvisado na lateral-direita. Nesse momento só penso na festa dos atacantes gremistas.

Carlos augusto, graças a São Jorge, segue na esquerda e Gabriel, será o substituto do suspenso Ralf. Assim o Corinthians vai a campo com: Cássio, Léo Santos, Pedro Henrique, Henrique e Carlos Augusto; Gabriel e Thiaguinho; Mateus Vital, Jadson e Pedrinho; Romero.

Nosso presente recente é uma lição de como uma má gestão, atrelada a um presidente que mais pensa em ser lembrado por polêmicas do que por gerenciar o clube com a marca mais cara da América, podem destruir uma equipe. Fomos do céu ao inferno em meses com a chegada de Andrés, o mesmo que um dia disse que ninguém riria novamente do SCCP. Sanches se perdeu, e no meio do caminho, vendeu sua alma alvinegra, ganhando desprezo da Fiel.

Que venha 2019, com menos erros tendo como bandeira nosso passado glorioso!

 

Por Mariana Alves