Tropeço INADMISSÍVEL em casa…

Aquele empate com sabor de derrota foi o que vimos na Arena Castelão na noite desta sexta-feira (26) pela 21ª rodada do Brasileiro, série B. O Ceará deixou escapar os 3 pontos que lhe dariam um fôlego a mais no campeonato.

Em confronto direto com o CRB, 4° colocado, o Vovô não conseguiu ser superior dentro da sua casa e mesmo com um jogador a mais durante a maior parte do segundo tempo, não foi decisivo nas suas finalizações e conseguiu apenas um empate por 1 x 1 com o chato time Alagoano.

Das dúvidas que rondavam a cabeça de Sergio Soares, Serginho foi mesmo o substituto de Felipe no meio campo, e Ciel (Que veio como esperança de gols do Alvinegro) assumiu o ataque ao lado de Bill.

O Ceará iniciou o jogo atacando, os 10 primeiros minutos inteiro no campo de ataque do adversário, mas sem concluir com objetividade, a posse de bola não resultou em gol. Logo aos 14’ Ciel se machucou e, assim, o Sérgio foi obrigado a fazer sua primeira substituição, William Henrique entrou na vaga do atacante lesionado.

O rendimento caiu um pouco e o CRB cresceu na partida. Aos 17’, na primeira chance de gol dos visitantes, após cruzamento, Zé Carlos não desperdiçou e de cabeça mandou a bola dentro do gol de Everson, falha total da Zaga Cearense, Charles e Valdo ficaram apenas olhando o atacante subir para cabecear. 1 x 0 para o segundo melhor visitante do certame.

O Ceará não conseguiu impor seu jogo, sem criação mal chegava ao campo de ataque, chutões e faltas, inúmeros cartões distribuídos. Só aos 48’ Bill conseguiu ser decisivo mais uma vez, quando, enfim, após um cruzamento certeiro de Eduardo, que assumiu a lateral direita na partida, embora ambidestro, não rende tanto quanto na lateral esquerda. Bill dentro da área de cabeça igualou o marcador. Fim do primeiro tempo.

FOTO: Globo Esporte

Para a etapa complementar, o comandante do Vovô ousou e, logo no início, sacou o Serginho para a entrada do atacante Rafael Costa. Os donos da casa pressionavam, mas não conseguiam criar jogadas de efeito, Diego Felipe que, ao meu ver, merece voltar para o campo urgente, esquecia seu papel de volante e se preocupava em criar jogadas ou resolver, muitas vezes perdendo a bola no meio campo e dando chutes para fora da área, que não passavam nem perto da trave. Aos 17’, Somália recebeu seu segundo cartão amarelo e foi expulso da partida, dando aos torcedores esperança de melhora em campo e de virar o jogo, mas só ficou mesmo a esperança. O técnico do Mais Querido até tentou buscar a virada, tirou o volante Diego Felipe e promoveu a entrada de mais um no ataque, Robinho.

4 atacantes em campo, Bill, Rafael, William e Robinho, não foram suficientes para fazer um gol sequer. O Galo fechou todos os espaços, tocava a bola e ainda tentava quando tinha chance livre nos contra-ataques. Parece que o Ceará sentiu a falta do meia Felipe, nenhuma jogada ofensiva foi criada e era mais na base do abafa que o Vovô chegava ao ataque. Nenhuma defesa extraordinária de Juliano, goleiro reserva que entrou na partida ainda na etapa inicial, após saída de Júlio César. Os visitantes ainda fizeram o famoso cai – cai.

Com isso, dois pontos desperdiçados dentro de casa, a 3° colocação mantida e apenas 3 pontos nos separam do 5° participante.

Sabendo que o segundo turno será complicado, que o time Cearense encontre, urgente, novamente o caminho da vitória. Jogue com raça, busque o acesso a cada partida, cada jogo é uma final, se não for para entrar em campo e dá o melhor de si, fique de fora... Hora de separar os homens dos meninos. Isso serve também para os torcedores.

FOTO: Christian Alekson / CearáSC

Os times foram a campo com a seguinte formação:

Ceará: 4-4-2

Everson, Eduardo, Valdo, Charles e T. Cameta; Diego Felipe (Robinho),  Richardson, Serginho (Rafael Costa) e Wescley; Bill e Ciel (William Henrique)

Técnico: Sérgio Soares

Cartão amarelo para: Richardson, Rafael Costa e Charles.

 

CRB: 4-3-3

Júlio César (Juliano) ; Marcos Martins, Diego Jussani, Flávio Boaventura e Diego; Geandro, Somália e Gerson Magrão; Luidy (Glaydson Almeida), Wellington Junior (Roger Gaúcho) e Zé Carlos.

Técnico: Mazola Jr.

Cartões Amarelo: Marcos Martins, Flávio Boaventura, Wellington Junior e Zé Carlos.

Cartão Vermelho: Somália (Após segundo amarelo)

 

Por Priscylla Lima

Curta Blog Mulheres em Campo