Tudo igual na Javari

juve1.jpg
Torcida bugrina lotou o espaço dado ao visitante na Javari. (Foto: Extraída da internet)

Na tarde deste sábado (25), o Guarani foi até a tradicional e resistente Javari, e empatou em 1x1 o jogo contra o Juventus.

As mudanças realizadas pelo técnico Maurício Barbieri ainda não surtiram efeito. Diria que com novo técnico, Guarani ainda sofre com os erros do passado.

"Estamos no caminho certo, mas ainda tem coisas para ajustar. Isso, porém, é com o tempo. Não tem como mudar da noite para o dia. Entre essas situações, estão algumas triangulações que não conseguimos encaixar, além de elaborar o jogo mais por dentro com o Fumagalli e abrir as linhas de passe para envolver o adversário”, explicou Barbieri.

 

A PARTIDA

O primeiro tempo deixou a desejar. Muita falta, muitos chutões e pouco futebol. O Juventus chegou a abrir o placar, mas Ricardinho estava impedido e o gol foi anulado. Pouco depois o Guarani respondeu, Bruno Nazário cabeceou e a bola bateu no travessão. Essa foi a única jogada de perigo do Bugre na primeira etapa do jogo. O time da Mooca ainda chegou mais duas vezes, uma com Jorge Mauá que bateu para fora e a outra com Judson, que chutou forte e o arqueiro bugrino Luís Henrique fez duas sequências de defesas.

juve.jpg

Fumagalli foi muito bem marcado e teve dificuldade para mostrar o que sabe. (Foto: Ale Vianna/Divulgação C.A Juventus)

As mudanças no intervalo deixaram o moleque travesso mais a vontade. E aos 7’, Judson saiu da marcação e bateu no canto esquerdo do goleiro. Juventus 1x0.

O gol grená fez com que o Guarani tivesse que sair para o ataque e nessas saídas o time corria o risco de levar um contra-ataque mortal que poderia sacramentar uma vitória do time mooquense. Na primeira grande chance do time alviverde no segundo tempo, Uederson livre na pequena área chutou para fora. Mas na segunda chance, do próprio Uederson de se consagrar com a torcida bugrina presente, ele não deixou passar batido, mandou a bola para o fundo das redes e empatou a partida aos 24’.

Após o gol de empate, o Guarani começou a gostar do jogo e foi em busca da virada, mas parou na defesa juventina. Não tinha mais tempo para mais nada. José Cláudio Rocha Filho apitou o final do jogo. Juventus um, Guarani também um. O Bugre termina a rodada em sétimo colocado, enquanto que o Juve segue na zona de rebaixamento, na décima oitava posição.

 

Ficha Técnica

Juventus x Guarani

Local: Estádio Conde Rodolfo Crespi, em São Paulo

Horário: 16h

Arbitragem: José Claudio Rocha Filho, Fabricio Porfirio de Moura, Vladimir Nunes da Silva e Samuel Aguilar de Lima

Gols: Judson, aos 7′, do 2ºT (JUV) e Uederson, aos 24′ do 2ºT (GUA)

Cartões Amarelos: Thiago César (JUV)

Público e Renda: 1.825 pagantes – R$ 31.310,00

Juventus: André Dias; Edvan, Vinicius, Camacho e Baroni; Jô, Thiago César (Léo Ribeiro), Judson (Filipe) e Júnior Timbó; Jorge Mauá e Ricardinho (Alex Barros). Técnico: Wilson Júnior.

Guarani: Luis Henrique; Lenon, Genilson, Diego Jussani e Denis Neves; Auremir e Evandro; Bruno Nazário (Renato), Fumagalli e Marcinho (Uederson); Rogério (Braian Samudio). Técnico: Maurício Barbieri.

 

Como é simpática a Javari

Prestigiar à um jogo no Estádio Conde Rodolfo Crespi é uma experiência incrível, inexplicável e inesquecível para o amante do futebol. Localizado na Mooca, Zona Leste de São Paulo, a cancha remete ao futebol do passado. A arquibancada é de concreto, o alambrado é próximo do gramado e a convivência é gostosa.

Símbolo da imigração italiana, os arredores da Javari são regados de pizza, esfiha e claro, o famoso cannoli.

 

juve4.jpg

As amizades são o que de melhor levo do futebol. (Foto: Fernanda Martins)

 

Voltando ao assunto Guarani…

O próximo compromisso do elenco bugrino é na próxima quarta-feira (01), contra o Capivariano, às 20h, no Brinco de Ouro.

Raça Bugrão, você é tradição!

 
 

 

Por Fernanda Martins