Um alento após o baque: Flamengo vence bem e dá sinais de reação

 

 

Quando o Flamengo entrou no campo do Serra Dourada para enfrentar o Atlético Goianiense pelo Campeonato Brasileiro, as feridas ainda estavam abertas no torcedor rubro-negro. A desconfiança após uma eliminação traumática na Libertadores era natural. Será que o time conseguiria reagir rapidamente ao revés, ou sinais de abatimento seriam visíveis nos jogadores? Mas o que se viu após o apito do juiz, foi um time que se superou para vencer o rubro-negro goiano por 3 a 0.

 

Mas além dos gols de Éverton, Leandro Damião e Rodiney, o time de Zé Ricardo mostrou uma entrega que não se viu na partida contra o San Lorenzo. O Flamengo jogava em Goiás, mas ignorou o fato de ser visitante e se impôs. Tocava a bola, tentava chegar à área, tentava furar a retranca atleticana. As principais jogadas saiam da esquerda com Trauco e Everton. Em uma dessas jogadas, Everton entrou na área e rolou para Arão, que chutou rasteiro, mas fraco.

 

Outro destaque do Flamengo era o meia Ederson, que voltava ao time após 10 meses, movimentando o meio campo, o torcedor ainda se acostuma com o retorno do camisa 10 quando um choque de cabeça com cabeça abriu o supercílio do jogador que começou a sangrar. Ele foi atendido e seguiu em campo se superando e tentando ajudar o Flamengo a se superar.

 

A recompensa veio aos 40 minutos quando Trauco cruzou rasteiro para a área. Damião passou da bola, mas Everton não e mandou para o fundo das redes. O segundo gol foi marcado no início do segundo tempo, aos cinco minutos novamente pelo lado esquerdo com lançamento de Trauco, Willian Arão, no meio da área, matou no peito e deixou a bola para Damião concluir. Mesmo com 2 a 0, o Flamengo continuou atacando e a prova da pressão foi o terceiro gol. Aos 18 minutos, após chutes de Trauco e Damião, o goleiro Felipe defendeu. Na sobra, Matheus Sávio chutou novamente, o arqueiro espalmou e Rodiney, que havia entrado minutos antes, cabeceou para o gol.

 

O time dava mostras de confiança, mas as mágoas ainda apareciam em alguns momentos como na entrada de Matheus Sávio - que é tido como um dos vilões na eliminação - que entrou sob vaias e teve que aguentar a torcida pegando no pé sempre que ele pegava na bola. A resposta para isso, foram as comemorações dos três gols. Todos os jogadores se abraçaram: reservas e titulares, mostrando união de um time que segue focado.

 

20170520211413_522.jpg

Foto: Divulgação Clube de Regatas Flamengo

 

As feridas da torcida do Flamengo ainda vão demorar um pouco pra cicatrizar. A frustração pela eliminação precoce ainda estará lá, mas o recomeço mostrado neste sábado pode ser a esperança que o rubro-negro precisa.

 

 

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-GO 0 X 3 FLAMENGO

 

LOCAL: Serra Dourada, em Goiânia (GO)

ÁRBITRO: Igor Junio Benevenuto (MG)

 

ATLÉTICO-GO:  Felipe, Eduardo, Ricardo Silva, Roger Carvalho e Bruno Pacheco; Marcão, André Castro (Andrigo), Igor e Jorginho; Everaldo (Junior Viçosa) e Walter (Walterson) Técnico: Marcelo Cabo

 

FLAMENGO: Muralha; Pará, Réver, Rafael Vaz e Trauco; Márcio Araújo, Willian Arão e Ederson (Vinicius Jr); Everton (Rodinei); Gabriel (Matheus Sávio) e Leandro Damião Técnico: Zé Ricardo

 

Por Camila Leonel