UM AMOR CHAMADO... GRÊMIO!

 

Olá, meu nome é Bethania Formighieri, tenho 18 anos e sou torcedora fanática do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Acredito que torcer para um time não é só colocar uma camisa bonita e comemorar nas horas boas, mas também é ser torcedor nas horas difíceis. E isso, ah, eu sei bem.

 

Foto: Eduardo Moura para Globo Esporte

 

Não sei como começou meu interesse por futebol e por querer saber mais e melhor sobre o Grêmio, mas hoje defendo e argumento com tudo que sei. Foram 15 anos de jejum sem ganhar um título, comemorar era coisa que fazíamos quando ficávamos naquele quase gol ou na quase classificação para tal campeonato. Não foi fácil, era eu chegar na escola para um colorado vir fazer corneta e perguntar: "Como foi teu time?"; mas tu encarava e com o que podia, argumentava sem sucesso sobre o desempenho do seu time. No entanto, esses anos foram difíceis, ô se foram, mas se via nitidamente quem era torcedor de verdade, que com chuva e com sol queria acompanhar o Tricolor.

2016 começou como aqueles que a gente pensava: "ESSE ANO VAMOS SER CAMPEÕES", mais dá boca para fora do que por sentimento, mas fomos campeões, conquistamos a Copa do Brasil. Até o final do jogo, muitos duvidavam e eu também duvidei. Depois de anos e anos de argumento e discussão para defender o Grêmio, acho que não precisávamos dessa Copa, a gente merecia.

Ser torcedor não é ter uma coleção com camisas do teu time, com relógios pela casa, escudos pelo salão de festas ou ter uma bandeira na janela. SER TORCEDOR é assistir os 90 minutos de jogo acreditando na vitória, é brigar com o teu rival pela história que teu time tem e não por um jejum de anos. Sim, nós merecíamos essa copa. Depois de tantos "quase", chegou a nossa vez de cornetar e gritar: GANHAMOS A COPA.

 

Foto de Richard Ducker

 

Sou torcedora por acreditar, sentir e amar o meu Grêmio. Ser campeão às vezes demora, mas tu sente como se os 15 anos de malditos tempos ruins, nunca tivessem existido.

Nesse ano de 2017, espero que o Grêmio assuste os torcedores com os "quases" e nos surpreenda como foi no último ano. Em relação ao time, acredito que reforços são bons e é preciso, mas o plantel hoje está tão completo e unido com o Renato Gaúcho que eu prefiro que se mantenha assim.

Por Bethania Formighieri, torcedora gremista apaixonada