Um ano que serviu de aprendizado.

2015, um ano que não deixará muitas saudades para o torcedor santista, mas que serviu de enorme aprendizado para todos aqueles que vestem o manto alvinegro, dentro ou fora de campo. E que ano! Ano no qual fomos do inferno ao céu, de desacreditado à favorito.

Era comum no início de 2015 ver o Santos sendo destaque de noticiários esportivos, porém, não do jeito que gostaríamos. A crise financeira que atingiu o clube, sem dúvidas, foi a maior de seus 103 anos de história. Além de salários e direitos de imagens dos jogadores atrasados, contas de necessidades básicas como água, luz e telefone também tiveram atrasos.

O clube teve que fazer um grande corte de investimentos para conseguir diminuir as dívidas deixadas pela gestão anterior. Para piorar a situação, alguns jogadores que eram importantes para o elenco, colocaram o clube na justiça, saíram pela porta dos fundos e ainda foram parar em equipes rivais.

Claramente, com a situação que o clube se encontrava naquele momento, muitos afirmavam que o Santos Futebol Clube chegaria a falir, ou então, que não teria equipe suficiente para conquistar algo neste ano, e se bobeasse, em 2016 disputaríamos a série B do Campeonato Brasileiro.

Não foi fácil... No Paulistão, não éramos favoritos, surpreendemos, e chegamos a sétima final consecutiva. Fomos campeões, mesmo com todos os problemas fora de campo, que aos poucos, conseguimos resolver. Uma equipe entrosada, unida e feliz. Uma equipe campeã.

 

Porém, essa mesma equipe no início do Brasileirão não passava a mesma confiança, perdemos muitos pontos, e permanecemos boa parte do primeiro turno na temida zona de rebaixamento. alvo de zoação de rivais, queda do técnico... Parecia que aquelas afirmações do início do ano se tornariam realidade. Isso para os críticos e rivais, é claro, porque o santista de coração sabia que o Santos daria um jeito de se recuperar.

Com a queda de Marcelo Fernandes, Dorival Jr foi contratado para assumir o comando da equipe na 12ª rodada do Brasileirão, quando a equipe se encontrava na 17ª colocação. Dorival arrumou a equipe, deu espaço para alguns jogadores mostrarem seu trabalho e a cada jogo o resultado vinha aparecendo levando a equipe a ocupar a 4ª colocação do Brasileirão ao final da 29ª rodada. SUPERAÇÃO.

Calando a boca de muitos, a equipe santista e tornou sensação, e com o bom futebol apresentado estava disputando além de uma vaga na Libertadores pelo Brasileirão, o título da Copa do Brasil, onde deixou para trás dois grandes rivais – Corinthians e São Paulo -.

Neste meio tempo, o clube também se tornou destaque por ter todas as suas equipes de base na final do Campeonato Paulista, algo que nenhum outro time havia conseguido até então. Motivo de orgulho, pela estrutura e por saber que estamos formando o futuro do futebol nacional.

Já a equipe principal, classificada para a final da Copa do Brasil, optou em jogar determinadas partidas do Brasileirão com a equipe reserva, colocando em risco a vaga no G4, quase perdesse a final do campeonato. E foi o que aconteceu, apesar de ter ganho a primeira partida em casa, a equipe santista perdeu o segundo jogo nos pênaltis. Algo que deixou os torcedores frustrados por mais um ano ver que o Santos não estará na Copa Libertadores da América, porém, temos muito que melhorar.

2015, sem dúvidas foi o ano em que o Santos provou a sua grandeza, a nossa força para superar momentos difíceis, mas, em 2016 queremos ver uma equipe forte, que não precise enfrentar problemas como os quais vivemos neste ano.

Queremos o Santos como ele sempre foi, FORTE E COMPETITIVO, revelando craques, ganhando títulos, fora da zona de rebaixamento, sempre na parte de cima na tabela.

Sabemos que talvez perderemos jogadores importantes, sim, acontece. Mas independente de qualquer coisa, o Santos é maior do que qualquer jogador.

Mais um ciclo foi encerrado, e que o próximo que irá se iniciar seja muito melhor.

OBRIGADA, MEU SANTOS! O motivo de todo meu riso, de minhas lágrimas e emoção, sempre será você.

VEM 2016!

Carolina Ribeiro