Um história escrita em três cores: da arquibancada para o altar!

 

Já dizia o poeta que para encontrar o amor verdadeiro é preciso estar distraído, e onde se está mais distraído para o amor do que em um partida de futebol?

 

Ninguém sai de casa para ver seu time jogar pensando em encontrar sua alma gêmea. Quando vamos ao estádio o único amor que queremos encontrar é o nosso time do coração, viver em êxtase os 90 minutos, cantando com nossa alma. Mas essa distração às vezes nos presenteia...

Como que por obra dos deuses do futebol, quis o destino, que o São Paulo, fosse protagonista nesta história, e porque não o cupido?

 

Nas arquibancadas do Morumbi, o amor ganhou um novo capítulo, numa verdadeira história de superação e companheirismo: a jovem menina de Hortolândia e o homem de Jundiaí, viveriam (e vivem) o amor, atrelados ao Tricolor!

 


(Foto: Arquivo pessoal)

 

No dia 11 de dezembro de 2015, o maior ídolo do São Paulo se despedia dos gramados, e na arquibancada Bia e Marcelo se conheciam. Entre troca de olhares e sorrisos, um notava o outro, enquanto a voz ecoava o canto são paulino. Não podia ficar só no olhar, o amor pedia passagem!

 

Com o passar do tempo as festas da torcida os aproximaram, as curtidas no instagram foram substituídas pelas longas conversas no whatsapp, mas se o primeiro olhar foi trocado no Cícero Pompeu de Toledo, o primeiro beijo não poderia ficar por menos.

 

Pré-Libertadores de 2016 - São Paulo x Univ. César Vallejo, 32 mil pessoas estavam presentes no estádio do Pacaembu, entre elas Bia e Marcelo, o combinado era simples: “Se sair um gol do São Paulo, você ganha um beijo.”  O 0x0 indicava que Marcelo voltaria para casa, sem o tão esperado primeiro beijo, mas aos 42’ do segundo tempo o atacante nordestino Rogério, que na época vestia a 17 do tricolor, balançou as redes. Menina de palavra, nossa colunista comemorou nos braços de Marcelo.

 

Como não ter a certeza de que estava escrito? Que tudo foi milimetricamente pensado para trilhar a felicidade? Mas nem tudo são flores. Uma história de amor precisa ser posta a prova, para se fortalecer.

 

20 anos...é o tempo que separa os dois. Ele 39, ela 19. Mulher de fibra, que amadureceu cedo para lutar, Bia jamais deixaria o preconceito, vencer essa batalha.

 

De lá para cá, muita coisa mudou na história dos pombinhos, que já comemoraram e sofreram muito pelo tricolor paulista. Em nome do amor, Marcelo largou tudo em sua cidade natal para ficar mais perto de Beatriz: “Não tinha mais nada que me prendesse em Jundiaí, tudo que eu amo está em Hortolândia.” Depois de 9 meses de namoro, o casal passou a dividir o mesmo teto, e foi aí que o amor pelo São Paulo se fortaleceu ainda mais.

 

Os são-paulinos decidiram eternizar na pele o amor pelo Soberano cada um ao seu modo, mas juntos.

 


(Foto: Arquivo pessoal)


 

E toda história linda merece um ápice. Depois de 2 anos morando juntos, o casal, que venceu a distância, a diferença de idade e muitas dificuldades, resolveu oficializar a união. A data escolhida foi 23 de junho, durante a Copa do Mundo!!!!! Nada mais apaixonado por futebol né não ?

 


(Foto: Arquivo pessoal)

 

O blog MEC vai estar presente e participar de cada detalhe desta celebração, unida pelo SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE  e abençoada por DEUS!

 

Nesse dia dos namorados, escolhemos contar esta história tricolor, em nome do amor e de nossa admiração. Tá chegando a hora Bia...cada detalhe do seu sonho compartilhado conosco, é como um spoiler, do grande livro do seu amor!

 

Felicidades!





 

Por: EQUIPE MULHERES EM CAMPO!