Um porto seguro chamado Atibaia!

Podemos dizer que Atibaia é o refúgio palmeirense. Sempre que a equipe se concentra lá, dentro que campo traz grandes resultados.

 

FONTE: Terra Esporte

Na 26ª sexta rodada do Brasileiro, a equipe alviverde encara o seu maior rival, o Corinthians. O derby encerra aquela que foi chamada de sequência da morte por muitos. Mesmo que o empate com o Flamengo ainda incomode, fato é que a equipe se saiu bem nesta sequência. Vitórias em cima de Atlético-PR no Paraná e São Paulo em casa, empate com o Grêmio em Porto Alegre e o empate com a segunda melhor equipe do campeonato, Flamengo.

A vitória em cima do rival pode coroar ainda mais a sequência positiva. Vitória que também assegura a manutenção da liderança, pois a diferença entre Palmeiras e Flamengo é de apenas um ponto, uma escorregada, que pode ser até um empate, pode deixar a liderança com o Flamengo, caso ele se saia vencedor em seu duelo.

O Palmeiras afobado que jogou contra o Flamengo seria uma preocupação. Seria se nessa equação não tivesse sido incluída a fórmula de Atibaia. O retiro em Atibaia já mostrou ser um Porto Seguro ao verdão. Ano passado após estreiar com derrota, Marcelo de Oliveira levou a equipe para o retiro. Isso se repetiu outras vezes e muitos sustentam que Atibaia foi um fator fundamental na conquista da Copa do Brasil, afinal Atibaia também foi palco de retiro antes da fase final da competição.

Cuca também já levou a equipe a Atibaia. Primeiro após uma péssima estreia com vexatória derrota para o Água Santa. Depois, Cuca voltou a levar a equipe a seu refúgio, logo após: vitória em cima do Rio Claro e sobre o mesmo Corinthians deste sábado.

Atibaia: refúgio, retiro ou concentração de forças, não sabemos bem o que significa, mas sabemos que trás resultados.

A ida a Atibaia já estava programada mesmo antes do resultado do jogo contra o Flamengo, após o resultado a ida deve ter se tornado ainda mais importante. A equipe foi direto ao resort em Atibaia depois do jogo da quarta-feira e retornou na sexta-feira a tarde.

FONTE: UOL Esporte

 Após o jogo contra o Flamengo, a equipe recebeu dois grandes desfalques, seus titulares Gabriel Jesus e Vitor Hugo estão suspensos e não enfrentam o arquirrival.

Com a ausência de Vitor Hugo, muito provavelmente o jogador que fará dupla com Mina será Edu Dracena, que vem se tornando a primeira opção do treinador quando esse perde alguma das peças de sua dupla de zaga titular (Vitor e Mina). Edu Dracena que veio do Corinthians pode fazer valer a lei do ex para o rival. O Palmeiras vem sofrido muito com seus ex-atletas, por que não seria a vez do rival também sofrer um pouco?

Com a ausência de Gabriel Jesus pode ser a oportunidade de Erik retornar a equipe. Erik se mostrou um substituto valioso de Jesus durante o período olímpico do camisa 33. Cuca porem, ainda faz mistério sobre quem assumirá a vaga. Rafael Marques tem sido uma opção recorrente do treinador também.

 

Os relacionados

Cuca relacionou 24 atletas, são eles:

Goleiros: Jailson e Vagner
Laterais: Fabiano, Egídio, Zé Roberto e Jean
Zagueiros: Yerry Mina, Edu Dracena e Thiago Martins
Volantes: Arouca, Gabriel, Thiago Santos e Tchê Tchê
Meias: Allione, Cleiton Xavier, Moisés, Vitinho e Fabrício
Atacantes: Dudu, Erik, Rafael Marques, Róger Guedes, Leandro Pereira e Lucas Barrios

Novidade entre os relacionados é Arouca que cumpriu suspensão preventiva do STJD e retornou à equipe.

 

Retrospecto do derby

Palmeiras e Corinthians já se enfrentaram 360 vezes. Superioridade alviverde: 128 vitórias, 110 empates e 122 triunfos do rival.

Palmeiras vem de uma sequência de 5 jogos sem perder para o rival: três vitórias e dois empates. Em um dos empates, o rival alvinegro foi eliminado por pênaltis em sua casa.

Por falar na casa corintiana, palco do confronto de sábado, nos dois últimos jogos: vitória palmeirense por dois a zero e no empate pelo paulista, o rival caiu nos pênaltis diante da muralha Fernando Prass.

Palmeiras e Corinthians tem gosto de história, tem rivalidade e tem sempre muito futebol. Pedimos aqui que a rivalidade seja mantida apenas no futebol, nada justifica a violência que ainda atrapalha os espetáculos. Sempre bom lembrar que em clássicos no Estado de São Paulo não há presença de torcida adversária, motivo pelo qual a torcida palmeirense não estará em Itaquera. Mas estaremos todos juntos no coração!

Que exista um Obina em cada atleta palmeirense! Um Evair em cada atacante, um São Marcos em nosso Jailson!

 

Sempre Avanti!

Por Marcela Permuy