UM SÁBADO BEM CONTRADITÓRIO HEIN SANTOS

 

Em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro o Peixe recebeu o São Paulo e não teve festa para nenhum dos lados. Como diria minha filha (são paulina) "empate a gente não comemora". Um gol para cada lado e um jogo daquele tipo.

 

Foto: Ivan Storti/SantosFC

 

O jogo:

 

Dois tempos distintos para variar. Santos jogou o primeiro tempo e no segundo assistiu o São Paulo jogar, igual tantas outras partidas já vistas ao longo deste ano. Minha Nossa Senhora dos Torcedores Aflitos, dá-nos paciência! 

 

Carlos Sánchez abriu o placar com sete minutos de bola rolando, enquanto o alvinegro ainda estava em campo, após Arboleda cometer pênalti em Evandro. O uruguaio bateu com categoria para deixar o Peixe na frente. Foi um primeiro tempo bem movimentado, várias chances perdidas, parecia até que eu não iria me estressar (rindo de desespero).

 

A segunda etapa foi quase toda tricolor. Sasha quase ampliou para o Santos logo nos primeiros minutos. Se quem não faz leva, poucos minutos depois Dani Alves empatou o jogo. Confesso que nem me espanta mais esses rompantes santistas. Depois do gol cada um reagiu de um jeito, o tricolor gostou do jogo e cresceu enquanto o alvinegro assistiu.

 

O técnico santista tentou mudanças para acordar a equipe, Tailson entrou no lugar de Evandro e Alison saiu para a entrada de Jean Mota. Sem mudanças na postura. O Peixe continuou perdendo gols e vendo o tricolor tentar virar o jogo, sem êxito. Deus existe sim! Fim de jogo, empate no melhor estilo santista, ora ligado na partida ora morto em campo. 

 

Foto: Santos.FC

 

Lembrar para não repetir!

 

No Brasil, a desigualdade racial ainda é muito presente no cotidiano das pessoas. Em comemoração ao Dia da Consciência Negra (20 de novembro) o Santos entrou em campo com números em seu uniforme que mostram o quanto a discriminação é real. 

 

Por ironia do destino (ou hipocrisia dos envolvidos), entramos em campo falando sobre discriminação racial e/ou violência contra a população negra justamente em uma tarde em que recebemos a visita do excelentíssimo senhor presidente da República, cujo discurso e opinião nós já sabemos decor e em nada condiz com o que o Santos "prega" com essa ação. Linda, porque precisamos nos fazer lembrar e saber todos os dias o que é ser negro neste país, porém contraditória.

 

Os números da desigualdade:

 

Vanderlei – 1% Advogados

Luiz Felipe – 2% Diretores de filmes

Jorge – 3% Apresentadores de TV

Victor Ferraz – 4% Chefes

Carlos Sánchez – 7% Homens formados

Marinho – 11% Homens em comerciais

Evandro – 12% Ensino Superior

Diego Pituca – 16% Professores Universitários

Lucas Venuto – 17% Médicos

Jobson – 18% Ricos

Tailson – 19% Juízes

João Paulo – 24% Câmara

Eduardo Sasha – 29% Pós-Graduação

Pará – 31% Atores em filmes

Felipe Aguilar – 59% Feminicídios

Alison – 60% Intolerância Religiosa

Felipe Jonatan – 61% Presidiários

Luan – 64% Trabalho Infantil

Uribe – 70% Gravidez na adolescência

Jean Mota – 75% Homicídios

Everson – 79% Mortes Violentas

Gustavo Henrique – 85% Trabalho escravo

 

Com esse resultado o Peixe segue na terceira posição da tabela, agora com 65 pontos. Na próxima rodada enfrenta o Cruzeiro na Vila Belmiro. Seguimos.

 

Por Andra Jarcem, com o Santos onde e como ele estiver.