Uma classificação sem méritos

 

Time cometeu muitos erros e fez sua pior partida da temporada

 

Time deixou a desejar

Foto: Nelson Perez

 

Foi um jogo feio de se ver. O Fluminense nem de longe mostrou qualidade no futebol apresentado. O time errou todos os fundamentos durante os noventa minutos e conseguiu a façanha de levar um sufoco do Liverpool-URU, uma equipe fraca que só não ampliou o placar de 1 x 0 por falta de competência.

O elenco Tricolor mostrou-se irreconhecível no primeiro tempo e estava visivelmente nervoso em campo, não conseguiu se encontrar. Nada se encaixou. Não houve volume de jogo, muito menos criação de jogadas perigosas. Foram passes errados, marcação ineficiente, buracos deixados nas laterais e na zaga, que mais uma vez pecou além do limite e falhou no único gol marcado pelo adversário. Aos 12 minutos, Martínez aproveitou um lançamento longo, driblou a apática defesa e marcou o dele.  Volto a repetir: Renato Chaves não tem futebol para defender a camisa Tricolor.

A coisa foi tão séria que com apenas nove minutos de jogo já eram computadas quatro saídas de bola errada do Tricolor. E a primeira chance de gol para o Fluminense só aconteceu aos 40 minutos. E durante o primeiro tempo, a equipe carioca só conseguiu realizar três finalizações contra 17 da equipe uruguaia.

Henrique Dourado nada fez em campo

Foto: Nelson Perez

 

E como é de costume, o intervalo serviu para que Abel levasse aquele papo reto com seus jogadores, que parecem gostar do esporro para jogar futebol. E eles voltaram para a segunda etapa com um pouco mais de determinação e até conseguiram criar algumas jogadas que poderiam levar ao empate. No entanto, esbarraram na parede chamada De Amores, que fez excelente partida e defesas perfeitas.

“Não me surpreendeu o Liverpool. Eles jogaram da mesma maneira do que no Rio. Sabia que, com a desvantagem, eles iriam marcar alto. O que me surpreendeu foi a péssima atuação do meu time nos 45 minutos. Eu briguei com eles no intervalo. Liverpool poderia ter ganhado de 2 a 0 no primeiro tempo. E a gente poderia ter vencido assim no segundo. O que eu me pergunto é qual o parâmetro da minha equipe. Perdemos para o Flamengo. E agora tivemos erros bisonhos. Domingo começa uma competição muito difícil. Saio daqui com dúvidas do que podemos fazer. Sei o que podemos chegar, mas não assim”, analisou o técnico em coletiva depois da partida.

Usar três atacantes com uma vantagem de dois gols pode não ter sido a melhor opção de Abel Braga, que poderia ter optado por mais um volante ou três zagueiros, liberando assim os laterais. A escalação do time ajudou o rival que acabou por anular completamente o meio campo. E mesmo diante dos últimos resultados negativos, Abel disse que não pretende modificar sua maneira de escalar o elenco.

Wellington Silva foi outro que não encontrou seu jogo

Foto: Nelson Perez

 

“Não penso em mudar esquema, não faço isso. Sabemos que tivemos queda de rendimento de alguns jogadores. É normal. O nosso time todo mundo conhece”, afirmou.

E uma situação bastante desagradável envolvendo o Marquinho aconteceu. Ele entrou em campo aos 40 minutos da etapa final e conseguiu errar uma bola que quase deu ao Liverpool –URU a chance de ampliar o placar. Cabe ressaltar que o “jogador”, que ganha 500 mil por mês e até hoje não jogou absolutamente nada, ficou incomodado com as vaias recebidas da Torcida e teve a audácia de mandar Tricolor presente calar a boca. Em que mundo vive esse rapaz? Esse “amor” do Abel por ele não me entra na cabeça e faz lembrar o caso do treinador com o Diguinho, em sua última passagem pelo Clube.

E lembro que Abel fala sempre da “alma” do seu time. Desta vez não houve isso. Aquele elenco que encantou a todos no início da temporada com um ataque perfeito, não entra em campo nas últimas partidas. É necessário frisar que o Brasileiro bate a porta e que o Fluminense vai encarar grandes times.

Será que conseguiremos sanar todos os problemas vistos dentro de campo com o plantel que temos? O que falta para a diretoria pensar em contratar reforços?

A melhor pessoa para responder tais questões é, sem dúvidas, o presidente Pedro Abad.

– Essa conclusão vai ser tomada a partir de uma análise em conjunto. Se vamos ter reforços, de onde vêm esses jogadores, enfim, todo o planejamento que passa pela comissão de futebol. O Campeonato Brasileiro é mais difícil. A gente precisa de um elenco mais robusto. Pode ser que, pontualmente, a gente tenha reforços. No momento não tem nada de concreto em termos de nomes. Existem conversas, mas nada fechado. O mercado oferece, a gente escuta, é obrigação. A gente faz um mapeamento para ver o que podemos trazer de novidades. Se julgarmos necessário, vamos reforçar o elenco com algumas peças”, argumentou.

Para bom entendedor, um pingo é letra.

Fontes:

Site Fluminense FC.

NetFlu


Carla Andrade