Uma final para esquecer, ou uma final para servir de aprendizado??

 

 

Extraída da Internet

 

Pois é meus amigos azulinos, o jogo deste domingo 07/04/2017 é um jogo para apagar de nossa memória ou usá-lo para corrigir os erros que insistem em nos rodear? Esta é uma pergunta um tanto difícil de se responder, principalmente vindo de um jejum de 9 anos.

Por mais que o nosso amor fale mais alto, sempre nos bate a angústia e a decepção de não termos conseguido por mais um ano bater o nosso rival em uma final e levantarmos a tão sonhada taça de número 38.

Mas, afinal de contas, seria este número um azar para a grande massa azulina?? Creio eu que não, o que falta em nosso clube, mesmo que seja doloroso de admitir é um verdadeiro comprometimento tanto com o nome do clube, como com seu maior patrimônio: A torcida.

Torcida esta que mesmo em uma situação aparentemente favorável ao rival não se deixou abater e invadiu o Rei Pelé como estão acostumados a fazer desde que me entendo por gente. E que torcida!! Fico encantada com a festa azul que só nós sabemos fazer, mas que pena que o time não soube retribuir tanto amor e carinho de nossa parte.

Em um jogo bastante movimentado, com 5 gols somente no primeiro tempo ainda nos restava a esperança de que no final tudo ia dar certo e íamos passar esta fase. Mas o que esperar de um técnico que tira um atacante e coloca um zagueiro para substituí-lo? Bastante complicado né não?

Apesar, do CSA ter vindo com seu “time completo” (o único desfalque era Everton Heleno), o Azulão do Mutange parecia não acertar os passes, a bola insistia em não entrar e o tempo também não nos ajudava muito, passando o mais rápido possível em favor de nosso rival que, não se fez de rogado e soube aproveitá-lo muito bem.

O que nos resta agora é, focar na Série C que já começa no próximo domingo (14) com mais um clássico, desta vez contra o Asa de Arapiraca e tentar manter o foco que é subir para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro. Difícil, mas não impossível.

Que Deus nos ajude, e que os jogadores que estão sendo contratados possam entender que o nosso lema: União e Força não é meramente ilustrativo.

No mais, estarei sempre te apoiando meu Azulão, na esperança de dias melhores para nós. Que a sua bela história não possa ficar só na memória dos azulinos mais antigos e que venham mais anos gloriosos.

Como diz um trecho de uma de nossas músicas: “Não importa o que digam, sempre estarei contigo...”


 

Ficha técnica

Campeonato Alagoano (Final – Jogo de Volta)

Jogo: CSA 2 x 3 CRB

Gols: CSA - Celsinho aos 17' e Daniel Costa aos 35' do 1T; CRB - Adalberto aos 11', Maílson aos 19' e Neto Baiano aos 32' do 1T

Cartão Amarelo: CSA - Thales

Local: Estádio Rei Pelé, Maceió/AL

Data: 07/05 (domingo)

Hora: 16h

Escalações

CSA

1- Mota

2- Celsinho

3- Thales

4- Douglas Marques

6- Rafinha (18-Cleyton aos 20' do 2T)

5- Dawhan

8- Marcos Antônio

7- Vanger (22-Jeam aos 13' do 2T)

10- Daniel Costa

19- Didira

9- Thiago Potiguar (15-Leandro Souza aos 36' do 2T)

Técnico: Oliveira Canindé

Banco: 12-Jeferson, 13-Denílson, 14-Rayro, 15-Leandro Souza, 16-Matheus, 17-Panda, 18-Cleyton, 20-Alex Henrique, 21-Jacó, 22-Jeam e 23-Cajuru.

CRB

1- Juliano

2- Edson Ratinho

3- Adalberto

4- Gabriel

6- Diego

5- Adriano (15-Jorginho aos 20' do 2T)

8- Yuri

7- Danilo Pires

10-Chico

11- Maílson (19-Elias ao 26' do 2T)

9- Neto Baiano (21-Emaxwell aos 14' do 2T)

Técnico: Léo Condé

Banco: 12-Bruno, 13-Audálio, 14-Rafinha, 15-Jorginho, 16-Jeferson Recife, 17-Clebinho, 18-Jocinei, 19-Elias, 20-João Paulo, 21-Emaxwell, 22-Matheus e 23-Cris.

Arbitragem

Árbitro: Anderson Daronco (FIFA/RS)

Auxiliar 1: Márcia Bezerra Caetano (FIFA/SP)

Auxiliar 2: Fabrício Vilarinho da Silva (FIFA/GO)

4º árbitro: Denis Ribeiro Serafim (CBF/AL)

5º árbitro: Maxwell Rocha da Silva (CBF/AL)


Jenniffer Mary