Uma vitória com nervos à flor da pele, e gol no minuto final.

 

O torcedor gremista que compareceu na Arena do seu time na tarde desse domingo (05/06) tinha sobre a partida contra a Ponte Preta a expectativa do bom resultado que manteria a equipe do sul na cola do então líder Corinthians. Entretanto, o retrospecto recente do Tricolor contra a Macaca era motivo de desconfiança. Em 2015, os dois times empataram nos dois turnos, sendo que em Porto Alegre os visitantes buscaram o empate quando o Grêmio vencia por 3 a 0. Definitivamente, era preciso estar atento ao jogo desse domingo.

Mas se na partida da temporada passada foi possível assistir um jogo repleto de gols, dessa vez parecia que o placar não sairia do zero. Isso não quer dizer que os anfitriões da tarde não tentaram. O Grêmio investiu, e muito, contra a meta pontepretana. Já no primeiro lance de perigo do jogo, Luan alçou a bola para encontrar Giuliano, que dominou e ao mesmo tempo deu uma assistência para Éverton, mas o atacante chutou para fora.

 

Fonte: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio FBPA

 

Quem reclamou desse desperdício de Éverton não imaginava que o atleta ainda teria outras duas chances claras de gol no primeiro tempo, mas sem sucesso para marcar. A defesa dos visitantes da tarde se colocava muito bem a ponto de segurar as pontas das investidas gremistas. Porém, aos 40 minutos da etapa inicial, o atacante Clayson recebeu cartão vermelho por atingir o lateral Edilson com o braço na altura do rosto do atleta. Os ânimos de ambas as equipes já estavam consideravelmente exaltados a essa altura do jogo, e talvez essa tenha sido uma medida que o árbitro encontrou de amenizar o clima quente da partida.

Na volta para o segundo tempo, os jogadores gremistas pareciam querer aproveitar a vantagem numérica em campo para garantir a vitória. Mesmo com um jogador a menos, a Ponte se posicionou muito bem e não permitia que o adversário desenvolvesse as jogadas de costume entrando na grande área. Então o Grêmio tentou mudar as tentativas, e começou a efetuar lançamentos aéreos para tentar furar o bloqueio pontepretando. Sem sucesso.

A apreensão da torcida Tricolor aumentava na mesma proporção que a paciência diminuía pelos gols perdidos. Para completar o cenário desfavorável para o time de Porto Alegre, aos 24 minutos do segundo tempo, o meio campista Lincoln foi expulso em um lance muito parecido com o da expulsão do adversário no primeiro tempo. O meio campista havia entrado no lugar de Ramiro, cinco minutos antes de levar cartão vermelho.

Entre outros cartões amarelos, o jogo seguiu com pressão dos donos da casa. O gremista quase viu o pior acontecer aos 45 minutos da etapa complementar. Na última tentativa da Macaca, Gilson chutou despretensiosamente de fora da área e acertou a trave da meta de Bruno Grassi. O lance parece ter causado algum efeito nos gremistas, que continuaram insistindo até que, aos 49 minutos, Luan pegou um rebote de fora da área e chutou de esquerda, uma bomba indefensável para João Carlos. Estava (finalmente!) marcado o gol gremista, estava garantida a vitória, estava feito o descontrole pela torcida na Arena.

 

Fonte: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio FBPA

 

O técnico Roger Machado destacou em entrevista após o jogo a postura dos atletas do Tricolor de não aceitarem o resultado de empate e buscarem a vitória até o minuto final, literalmente. Com a vitória, Grêmio igualou os 13 pontos de Corinthians e Internacional na ponta de cima da tabela. Ganha do maior rival no saldo de gols, perde para os paulistas no número de cartões. Agora a equipe terá uma semana de preparação para o desafio contra o Fluminense fora de casa, no sábado (11/06). Ao mesmo tempo em que a equipe tem o período para treinar, a torcida terá tempo de recuperar das fortes emoções de mais uma vitória daquelas com cara de Grêmio...

Cintia Menzomo