Uma vitória suada

Quando anunciaram o nome de Zé Ricardo para substituir Muricy Ramalho, minha cabeça se reportou aos acontecimentos de janeiro de 2016. O time de juniores do Flamengo estava em São Paulo e o técnico era o Zé Ricardo e chegou ao título da Copa São Paulo de Futebol Júnior. Uma das coisas que o time - composto por Felipe Vizeu, Léo Duarte, Lucas Paquetá, hoje no time principal - era o poder de reação. Mesmo saindo atrás o placar, conseguiu reverter o resultado, inclusive na final contra o Corinthians, onde saiu perdendo por 2 a 0, conseguiu empatar, levar aos pênaltis e ser campeão.

Devaneios e lembranças à parte, era certo que o Flamengo tinha uma dura missão: vencer a Ponte em Campinas, algo que o Fla não conseguia há 12 anos. E em meio a uma crise então, tornava as incertezas maiores ainda.

Zé Ricardo promoveu algumas mudanças no time. Começou pelo gol com Muralha, já que Paulo Victor sentiu dores e ficou de fora do time principal. Na zaga, César Martins voltou ao time e formou dupla com Léo Duarte.

A Ponte começou melhor, o Flamengo demorou para se encontrar em campo e essa demora custou caro. Aos 12 minutos, após cruzamento, Wellington Paulista subiu sozinho para mandar a boa para o fundo das redes. Com o gol, a Ponte diminuiu o ritmo. Aos 20 sofreu o empate após cobrança de falta de Alan Patrick e a bola desviar em Felipe Azevedo. Fla 1 a 1.

A virada veio aos 42 minutos. Alan Patrick cobrou escanteio, o goleiro João Carlos espalmou a bola para a entrada da área e lá estava Jorge, que pegou de primeira para marcar um golaço que colocava o rubro-negro à frente no placar.

Jorge, autor do gol que deu a vitória ao Rubro-negro (Rodrigo Coca/ Flamengo Oficial)

Parecia que as coisas iriam melhorar para o Flamengo. Pareciam. Aos 16 minutos do segundo tempo, Fernandinho foi expulso. Com um a menos, Zé Ricardo colocou Cuellar para fechar o time. Recuado, o Flamengo passou a sofrer com investidas da Ponte. Pôde contar com Muralha, que salvou várias chances de empate do adversário. O Flamengo se segurava como podia e no último lance da partida, Muralha defendeu um belo voleio de Felipe Azevedo, evitando o empate da Ponte.

O Flamengo volta para o RIo com três pontos, na quinta colocação da tabela. Volta também com o alívio de voltar a vencer após duas rodadas. O adversário da quinta rodada será o Vitória, na quinta-feira, no Rio. Uma boa prova para ver se a vitória de Zé Ricardo com o Fla não foi apenas "sorte de principiante"

Por Camila Leonel