Vamos jogar com raça e com coração

 

Em busca de mais uma vitória, Corinthians enfrenta o Sport em Recife


 

O Corinthians enfrenta o Sport, em Recife as 11hrs deste domingo, pela 4º rodada do campeonato brasileiro. O horário surreal da partida, e a diferença climática com São Paulo, causam preocupação na comissão técnica da equipe alvinegra.

O calendário do Brasileirão é algo que a cada ano tem sido mais mal feito e pensado apenas na TV, menosprezando torcida e atletas (termômetros preveem mínima de 23 graus e máxima de 29 na hora do jogo). Para amenizar os efeitos, a comissão técnica viajou antecipadamente para Recife, onde promoveu treinos no CT do Náutico no mesmo horário do confronto de amanhã.

 

Treinamento da equipe no CT do Náutico. Foto: Ag Corinthians

 

Tite deve manter a equipe que venceu a Ponte no meio de semana, o novo esquema tático agradou o treinador, que adiantou Bruno Henrique dando mobilidade ao time e incumbiu Cristian de cuidar da marcação. O tão contestado Guilherme é outro que vem ganhando destaque. Sem  a obrigação de ter de voltar para buscar a bola, o meia tem atuado mais solto, chegando mais ao gol adversário.

Assim, o Corinthians deve entrar em campo contra o Sport com Walter; Fagner, Felipe, Vilson e Uendel; Cristian e Bruno Henrique; Marquinhos Gabriel, Guilherme e Giovanni Augusto; Luciano. A arbitragem sera de Wagner Reway, (MT), sendo auxiliado por Guilherme Dias Camilo (MG) e Fábio Rodrigo Rubinho (MT).

 

Mereça a Titularidade

 

Nos últimos dias além da polêmica sobre o papo da torcida com os jogadores, outro assunto vem tomando conta do Corinthians: a perca da titularidade de Cássio.

Que o goleiro é ídolo, nem um alvinegro dúvida, mas também temos a certeza de que Cássio, não estava em seus melhores dias na meta corinthiana. Foram erros seguidos, desde que o gigante tentou se transferir para o futebol turco e o negócio não se concretizou, o que vimos foi uma queda drástica dentro de campo. Enquanto isso Walter seguia treinando, apenas esperando sua oportunidade, e já havia demonstrado segurança quando foi exigido.

A oportunidade veio, infelizmente em meio a uma tragédia, mas Walter não decepcionou. Já Cássio, que está a pelo menos 5 anos no clube e conhece como ninguém a torcida e a pressão que ela exerce, passou a se lamentar em entrevistas.

 

Mauri assiste treinamento de goleiros. O clima com Cássio não é dos melhores. Foto: Gazeta Press

 

"Com o Tite, eu fiquei chateado no momento. Mas em nenhum momento eu deixei de treinar. A gente fica chateado às vezes com outras pessoas que trabalham com a gente, que poderiam estar mais atentos e ter falado isso antes pra gente. Alertar que isso poderia acontecer, que estava tendo uma queda de rendimento. Quando você tem um treinador específico, ele tem de te falar isso, estar mais próximo, olhar olho a olho e falar que tem que melhorar", bradou, confirmando que se tratava de Mauri logo depois.

 

Depois das declarações do goleiro, Mauri deixou de dirigir seus treinamentos ao goleiro. Bem caros alvinegros é bom ver jogadores lutando pela titularidade do nosso amado clube, mas o que Cássio tem feito beira a infantilidade. Soltar comentários do tipo, “espero que ninguém mais morra”, ao invés de lutar pelo lugar no clube, desgastam a relação do atleta com o time.

A duras penas, Adenor tem tentado unir o time e implantar sua filosofia, enquanto isso o goleiro tem minado o vestiario. Cássio, treine, treine dobrado e mostre que deseja representar o Corinthians, e assim não manche seu lugar de ídolo da Fiel.

Outro que deve muito a torcida é o atacante André. Como muitos já disseram, parece que falta vontade ao atacante e Tite, tenta fazer com o jovem, o mesmo que fez com Vagner Love. Seu ex clube tenta sua contratação a toso custo e a hashtag #voltaAndre tem sido apoiada pela torcida de ambos os clubes. Sei que o desempenho é pífio até o momento, mas como o futebol é uma caixinha de surpresas quem sabe o raio cai duas vezes no mesmo lugar e André, comece já perante o Sport uma nova era no Corinthians.

Como a torcida, inflamada canta, joguem com raça e com coração e mostrem que merecem o manto sagrado do alvinegro. Ao invés de reclamar da cobrança do torcedor e das reuniões com os mesmos, se cobrem em campo e joguem dobrado. O apoio nunca faltará, mas o comodismo, não será aceito!



por Mariana Alves