VENCEU MAS NÃO CONVENCEU

Barcelona vence o Villarreal e pula para a quarta posição.

 

(Foto: Site Oficial do Barcelona)


 

Ainda bem que para conquistar os 3 pontos, é preciso de bola na casinha e não jogar bonito, porque se fosse, o Barcelona ia estar enrolado. Mais uma partida super abaixo do esperado na segunda etapa, mas com Valverde não dá para esperar coisas grandiosas, e o importante é que a vitória veio. 

Os pontos perdidos de forma inútil na casa do adversário estão sendo conquistados dentro do Camp Nou, e isso vem ajudando para que o Barça não ande dando um passeio na zona da degola, e já que sempre dizem que o Messi manda em tudo, já está na hora dele mandar todos os jogos serem em casa para que assim, nós venhamos a estar invictos em todas as partidas...

Brincadeiras a parte, já passou da hora de primeiramente mandar o Valverde embora e da equipe Culé voltar a ganhar fora de casa. Time que almeja levantar o caneco tem a obrigação de ganhar na casa do adversário. É claro que não dá para vencer todos os jogos, mas não dá para perder tantos pontos assim, e a grande parte deles para equipes inferiores.

Tem que levantar as mãos para o céu e agradecer que a La Liga está bastante equilibrada e a diferença para o líder é pouca, porém, não dá para ficar brincando de perder pontos.

A escalação do técnico foi bastante inusitada, a primeira vez em que tivemos o trio Messi, Griezmann e Suárez em campo - não sei se podemos dizer que o Uruguaio realmente esteve em campo, mas ele foi escalado para a partida. - Os gols do confronto foram logo marcados na primeira etapa, e no segundo tempo foi mais um jogo morno com o Barcelona administrando o placar e orando para chegar logo o fim do jogo.

A equipe Culé começou o jogo pressionando o adversário, com Messi bastante participativo e buscando logo o gol, e depois de duas chances criadas, o Barcelona conseguiu balançar as redes com Griezmann aos 5 minutos. O francês escorou livre para o fundo do gol após o camisa 10 cobrar escanteio no primeiro pau. Foi um belo gol do Barça com uma postura bastante animadora e diferente do que estamos vendo ultimamente.

O segundo gol não demorou a sair, e foi um SUPER GOLAÇO do menino Arthur. O brasileiro recebeu de Busquets no meio da rua, dominou e mandou um F O G U E T E de lá mesmo, acertando no ângulo do goleirão e ampliando o placar para o Barcelona. Alô puskas, já temos um candidato e ele se chama Arthur Henrique Ramos de Oliveira Melo. 

A vantagem no placar veio, e com ela também a comodidade do Barcelona em campo. A equipe tirou o pé do acelerador e viu o Submarino Amarelo se encontrar no jogo e descontar no placar, já no finalzinho da primeira etapa. Aos 43, Cazorla recebeu a bola na entrada da área e sem marcação alguma (já que a zaga estava dando um passeio pelo gramado), mandou a bola para o gol, e ainda contou com um leve vacilo de Ter Stegen, que acabou vendo a bola passar entre as mãos. Sendo a equipe mais vazada até agora, levaram gols em todas as partidas da La Liga: ao todo, são 14.

 

E ainda vimos o argentino eleito pela 6a vez o melhor do mundo, cair no gramado sentindo problema na coxa esquerda. 

(Esse foi o efeito de ter carregado o time nas costas por tanto tempo na temporada passada, e nessa também.)

 

Foto: Divulgação/Internet

 

Na etapa complementar, o técnico Culé colocou Dembélé no lugar de Messi, De Jong no lugar de Sergi Roberto, que só Deus sabe o porquê dele ter sido titular. Como o Barcelona vive mais do que nunca na Messidependência, o camisa 10 saiu de campo e a vontade Barça de jogar foi junto. A equipe Culé apenas segurava o placar e não via a hora do juiz apitar o final da partida, pois via o Villarreal atacar cada vez mais em busca do empate.

 

Suárez estava completamente apagado em campo, errando TUDO que tentava e ainda foi vaiado por metade da torcida. Todo mundo via o quão péssimo era a atuação do 9 em campo, menos o "amado" treinador que manteve o Uruguaio em campo até aos 32 minutos, quando Ansu Fati o substituiu e incendiou a partida. O jovem precisou de poucos minutos em campo para criar duas chances maravilhosas, mas infelizmente não chegaram a balançar as redes.

 

O segundo tempo foi sem muitas surpresas, mas com o Barça saindo de campo com os 3 pontos e pulando para o 4° lugar, com 10 pontos, os mesmo que Real Sociedad, Sevilla e Atlético de Madrid, que ainda não jogaram pela sexta rodada. Agora resta ao Barça secar os adversários para se manter na cola do líder. 

 

A paciência com Valverde que nunca existiu agora está mais nula do que nunca. O técnico está a 3 anos no comando do Barça, e temos um total de 0 mudanças e milhões de fracassos. 

Não tinha o porquê permanecer com o Valverde no elenco depois das eliminações vergonhosas contra a Roma e o Liverpool, e mesmo assim a diretoria quis dar continuidade ao mesmo. Insiste em jogadores que estão em fase ruim, mas não coloca quem está no banco (que inclusive são bem melhores que os titulares), deixando de escalar por méritos para escalar jogadores de nome e por hierarquia. Que a lesão do Messi não venha ser nada grave e que ele esteja pronto para o próximo confronto, porque sem ele é difícil demais. A responsabilidade de chamar jogo e ir para cima do adversário na ausência do 10, fica todo para o Ansu Fati de apenas 16 anos.

As expectativas para esse temporada já eram baixas,mas depois dessas partidas elas sumiram.


 

Se Valverde é treinador, Prazer, eu sou astronauta.  #ValverdeOut

 

(Foto: Site Oficial do Barcelona)


 

O Barcelona volta a campo no próximo sábado (28), contra o Getafe, fora de casa às 11:00 (Horário de Brasília).

 

¡Visca El Barça!

Més que un Club


Por: Thais Santos