Vilão, herói e ídolo, esse é Fábio

 

foto: espn.uol.com.br

 

No futebol, quando se ouve falar em craques, ídolos, mitos, muitos logo imaginam um jogador de linha, aquele que é artilheiro e o mestre das melhores jogadas, mas se esquecem de que muitas vezes aquele cara que fica lá parado debaixo das traves, esperando um ataque adversário para se movimentar, fazer “milagres”, defesas tão espetaculares que tem tanta importância quanto um gol. São os únicos com a possibilidade de jogar com os pés e as mãos, que tem a capacidade de mudar toda história de um jogo e se tornarem ídolos, heróis e vilões ao mesmo tempo.

No Cruzeiro, temos uma grande historia com goleiros, que se tornaram ídolos pelo belíssimo trabalho, heróis para nós e vilões para os adversários, como: Raul, Dida e Gomes que tem seus nomes gravados nas páginas heroicas e imortais do glorioso Cruzeiro. Em meio a esses grandes goleiros, surgiu mais um disposto a dar continuidade a esse legado de grandes nomes:  Fábio Deivison Lopes Maciel.

foto: globoesporte.com

 

Humilde, religioso, atencioso, pai, marido, irmão, filho e ídolo de milhares de torcedores, esse é Fábio, nascido em Nobres-MT, no dia 30 de Setembro de 1980. Começou sua carreira profissional em 1997, no União Bandeirante,no Paraná, mas em 1998 foi para o Atlético Paranaense.

Em 2000 teve sua primeira passagem pelo Cruzeiro, por um empréstimo, fez sua estreia em quatro de março de 2000 contra o Universal-RJ. Fábio se manteve no Cruzeiro durante um ano e no final do empréstimo voltou ao União. Logo depois foi para o Vasco ,onde permaneceu por quatro anos, mas após uma confusão com a diretoria do time, ficou parado por quatro meses e por destino negociou seu retorno ao Cruzeiro.

 

O retorno e a idolatria

 

Desde então, já são quase 11 anos de clube, ajudando a honrar o nome e a tradição do clube. Fábio se tornou em 2015, o jogador que mais vestiu o manto celeste, foram até aqui mais de 660 jogos, ainda em atividade Fábio é um dos maiores ídolos cruzeirenses. Mas como todo grande ídolo ele também teve altos e baixos, no ano de 2007 sofreu uma grave lesão que o afastou dos gramados por quatro meses, e em um ano marcado por falhas, a torcida não queria seu retorno, mas eis que o técnico Dorival Júnior, contrariando-a apostou em arqueiro, que se empenhou em fazer seu melhor para ajudar o time e reconquistar a nação azul. Naquele ano o time ocupava a 12ª colocação no campeonato brasileiro, com o retorno de Fábio teve uma arrancada impressionante, acabando o campeonato ocupando a 5ª colocação e com isso a equipe garantiu uma vaga pra Copa Libertadores. A partir daí quem ainda resistia ao poder de Fábio, teve que ceder.

 

foto: guerreirosdosgramados.com.br

 

Conquistas com a camisa Celeste

 

Nos anos seguintes, Fábio conquistou com a equipe estrelada mais três campeonatos mineiros, o campeonato internacional de verão, entrou para a história do Mineirão e do clube celeste, tornando- se o terceiro goleiro a gravar suas mãos na Calçada da Fama do estádio e os seguintes prêmios individuais:


 

foto:globoesporte.com


 

No ano de 2011, Fábio completou 400 jogos com o manto celeste e renovou seu contrato com o Cruzeiro e em uma entrevista demonstrou sua satisfação com o clube.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Hoje não trocaria o Cruzeiro por nenhum outro clube do Brasil e até mesmo do exterior." Fábio (globo esporte.com)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

cruzeiro.com.br

 

 

O ano de 2013 foi marcado como um dos melhores anos para toda nação azul. Torcida, diretoria e jogadores estavam todos em uma sintonia perfeita, e logo veio à conquista do Tri Campeonato Brasileiro, fazendo com que o time se tornasse um dos melhores de toda história celeste, e Fábio claro, foi um dos grandes responsáveis por esse ano maravilhosos. Foram defesas improváveis, vitórias emocionantes, a cada defesa um grito de emoção saia da garganta de um cruzeirense.

foto: espn.uol.com

2014 não foi diferente, em consequência do bom trabalho do time de 2013, veio o Tetra Campeonato, mais um ano com Fábio de protagonista, foram verdadeiros “milagres” que fizeram o time alcançar mais uma vez o sucesso. Nesse ano Fábio o nosso capitão levantou mais uma vez a taça de campeão.

foto:mearim.com.br

O ano de 2015 não começou bem na Toca da Raposa, grande parte dos jogadores bicampeões foram embora, mas Fábio foi um dos que permaneceram, sempre honrando a camisa, quando o time não aguentava mais, era ele que impedia uma derrota humilhante.  Foi nesse ano que ocorreu um dos momentos mais emocionantes em disputas de pênaltis. Na Copa Libertadores contra o São Paulo, o jogo foi para os pênaltis, muitos cruzeirenses no Mineirão, jogadores desesperados por uma vaga, e Fábio garantiu a classificação, foram dois pênaltis defendidos,levando o estádio à loucura, quem tinha o coração fraco não sobreviveu aquele jogo.

O episódio de renovação de contrato também mexeu com todo mundo, ninguém sabia qual seria o futuro do nosso capitão, parte da torcida estava alienada por notícias falsas, mas a maioria sabia do valor e da importância de Fábio, então a diretoria renovou seu contrato por mais três anos, teremos Fábio pelo menos até 2018.

foto: hojeemdia.com.br

A fé, a garra e a determinação desse guerreiro o levaram ao topo, de goleiro reserva, passou a titular e capitão do time, exemplo para os demais jogadores, um dos profissionais mais respeitados e mais assediados pelos fãs e isso só fez que Fábio respeitasse mais e mais todos os fãs, sempre atencioso e muito carinhoso com a torcida, Fábio, a Muralha Azul é merecedor de tudo de bom que aconteceu e acontecesse com ele, e nós cruzeirenses só temos de dizer o nosso “Muito Obrigado Fábio”.

 

#ObrigadaFábio             

Greicilene Santos